quarta-feira, 24 de junho de 2015

Metamorfose gordurosa hepática em bovono

Vários mecanismos podem interferir no transporte e no metabolismo dos lípides, resultando em metamorfose gordurosa; "(a) liberação excessiva de ácidos graxos pelo tecido adiposo, que são carreados para o fígado e outros órgãos, que os depositaria sob a forma de gorduras neutras quando ultrapassada a capacidade de utilização; isto ocorre na inanição; (b) diminuição da utilização dos ácidos graxos devida a interferência com co-fatores essenciais à oxidação dos ácidos graxos de cadeia longa, que seria o mecanismo através do qual as toxinas bacterianas induzem metamorfose gordurosa; (c) deficiência de agentes lipotrópicos, como colina ou metionina, diminuindo a síntese de fosfolípides; (d) esterificação dos ácidos graxos em triglicerides; (e) falha na síntese de proteínas, com declínio de excreção de lipídeos do fígado. Este fenômeno ocorre, por exemplo, na intoxicação pelo tetracloreto de carbono. Essa patologia é bem conhecida na cetose da vaca e na toxemia das ovelhas prenhes. Segundo alguns autores esta patologia é freqüentemente encontrada em vacas no inicio da lactação, associada segundo os mesmos autores, à redução da fertilidade. O fígado comprometido apresentam-se como mostra as fotos com aumento de volume, traduzido pelo abaulamento das bordas, coloração pálida ou amarelada, friáveis e de textura untuosa ao corte. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário