quinta-feira, 27 de julho de 2017

Cistite hemorrágica em bovino

Nesta necropsia deste bovino encontrou-se na bexiga uma inflamação hiperplásica cronica com hiperemia vesical, levando-se a pensar em uma metaplasia do epitélio escamoso vesical. As lesões observadas foram nódulos milimétricos vermelho negros, cuja tonalidade possivelmente se deve a ectasias vasculares locais. Estes nódulos podem desenvolver em forma de polipos verrucosos tipo couve flor. Este animal apresentava hematuria possivelmente devido a rutura das ectasias vasculares, daí pensou-se em um diagnostico de hematuria enzoótica bovina. É uma enfermidade cuja causa não é muito clara, mas só se observa em animais em regime à pasto.    

Cistite cronica hipertrófica em suíno

Em circunstâncias normais a bexiga é resistente à infecção, pois as bactérias são eliminadas rapidamente pelo fluxo natural da urina normal. Sem duvida a predisposição à infecção aparece quando se produz estancamento ou estase da urina. As causas diretas usuais são bactérias que penetram através da uretra, ou a infecção pode ter origem devido à infecção descendente como por exemplo nas inflamações renais. Entre as bactérias cita-se a Escherichia coli, proteus vulgaris, estreptococos e estafilococos. As cistites podem ser agudas ou cronicas, sendo que estas ultimas pode apresentar varias formas anatomopatológicas. Neste postamento ela está classificada como uma cistite cronica hipertrófica, onde ouve persistência do agente lesivo por semanas ou anos, sendo um estimulo constante para a reação inflamatória. Geralmente é provocada por agentes etiológicos de baixa intensidade e quando a resistência do organismo é alta.  

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Icterícia em um cão SRD

Chama-se Icterícia a condição patológica em que há uma quantidade excessiva no sangue circulante ou de hemobilirrubina ou de colibilirrubina. Esta quantidade excessiva de pigmento biliar cora os tecidos em amarelo. Esta alteração pigmentar pode ocorrer antes, durante ou depois da bilirrubina ter passado pela célula hepática, resultando daí três tipos de Icterícia: a hemolítica, a toxica e a obstrutiva. As duas primeiras formas são geralmente agrupadas como icterícia por retenção, isto é, as células hepáticas são incapazes de excretar toda a bilirrubina acumulada no sangue. Esta incapacidade pode ser devida a um excesso de produção de bilirrubina (icterícia hemolítica) ou por estarem as células hepáticas lesadas e por isto incapazes de excretar uma quantidade às vezes normal de bilirrubina (icterícia hepática, toxica ou toxico-infecciosa). Neste postamento trata-se de uma icterícia hemolítica ou também chamada pré-hepática, onde a sua etiologia está relacionada com a leptospirose.