domingo, 3 de dezembro de 2017

Passagem de larvas de Ascaris sum em suínos

O Ascaris sum se encontram principalmente no intestino delgado, porém podem emigrar ao estomago e vias biliares. Possuem 30 cm ou mais de comprimento, sendo bastantes grossos. Uma fêmea produz um grande número de ovos que se desenvolvem até a fase infestante em torno de duas semanas, sendo bastantes resistentes a agentes químicos. Aí os ovos sendo ingeridos, as larvas se incubam no intestino, penetram na parede intestinal e entram na circulação portal, os quais depois de crescimento no fígado, são transportados pela circulação pulmonar, onde através dos  capilares vão aos espaços alveolares. Aproximadamente duas semanas após a ingestão, as larvas deixam os pulmões subindo pelas arvores bronquiolares  retornando ao sistema digestivo onde sofrem maturação no intestino delgado. Estes vermes podem reduzir em muito a velocidade de crescimento nos animais jovens. A imigração das larvas através do fígado causam hemorragia e fibrose que aparecem como manchas brancacentas debaixo da capsula como mostram as fotos.      



quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Pleuropneumonia fibrino supurada cronica em suíno

A pleuro pneumonia fibrino supurada cronica fazem parte das doenças respiratórias nos suínos e são uma importante causa de perdas econômicas, devido tanto ao atraso no crescimento quanto às perdas com mortes de animais. Na maioria dos casos, a aparição destas doenças se relaciona com a ação conjunta de vários agentes patógenos, condições ambientais e de manejo inadequados. Desta forma estamos diante de uma doença multifatorial, que tem sido chamado de complexo respiratório dos suínos.
Observa-se na superfície da serosa pulmonar que ela perdeu o seu brilho e está com uma aparência aveludada, formando uma membrana brancacenta de material filamentoso atingindo alguns centímetros de espessura, com superfície rugosa e estrias fibrinosas. A membrana de fibrina parece formar uma pseudomembrana amarela ou branca acentuadamente resistente. Observa-se nas fotos que o exsudato fibrinoso forma uma camada que se desprende facilmente do tecido pulmonar que lhe deu origem deixando-o intacto.  Outro constituinte do exsudato desta consorciação da inflamação é o pus. Ao contrário da crença popular, a presença de pus numa lesão é um sinal extremamente favorável. Indica que a primeira linha de defesa celular foi requisitada para a área pulmonar. O pus confinado é uma fonte de absorção de substâncias tóxicas provocando a chamada toxemia. Os organismos podem entrar na corrente circulatória (piemia) e podem ser transportados a outros lugares onde provocam novos focos inflamatórios como demonstrado nas fotos, portanto dando metástase em outras áreas pulmonares.





sábado, 11 de novembro de 2017

Lipoma em suíno

São tumores das células adiposas. Os lipomas são bem mais comuns que os lipossarcomas e são vistos mais frequentemente em cães idosos, cavalos, carneiros, gatos, bovinos  como neste postamento em suínos. Os lipomas são vistos ocasionalmente na cavidade abdominal de suínos. o suíno não precisa ser gordo para ser afetado. A localização preferencial dos lipomas nos animais domésticos é subcutâneo ( na região do peito, adomem, externo, axilas e pernas). Os lipossarcomas são raros. Macroscopicamente são simples ou múltiplos. Sua forma e tamanho como demonstra as fotos são irregulares. O tamanho não está associado à gordura corporal. São arredondados, ovoides, e pedunculados. São bem circunscritos, encapsulados, de consistência mole. às vezes o tumor é mais duro dependendo da quantidade de tecido fibroso nele existente. Sua cor é branco ou ligeiramente amarelado com áreas de necrose gordurosa em seu centro.