domingo, 1 de fevereiro de 2015

Fibroma em um cão sem raça definida

 São neoplasias que podem estar em qualquer parte, porém se encontram com maior frequência na pele, subcutis e na vagina. Macroscopicamente são nódulos arredondadas ou ovóides, bem circunscritos, de cor brancacenta e consistência firme como demonstra as fotos ao lado. Alguns podem ser pedunculados ou papilares. Como demonstrado na foto ao lado microscopicamente os fibroma apresentam ma característica constituída de fibroblastos e fibras colágenas dirigido sem orientação em varias direções. As células são fusiformes, com núcleos alongados, grandes, pálidos e múltiplos nucléolos. Os fibroma não desprovidos de estroma tem um variável grau de vascularização. Estes fibroma devem ser diferenciados de tecido de granulações que são constituídos de feixes paralelos, de fibroblastos e fibras colágenas com capilares proliferando em ângulos retos. Estes tumores podem serem confundidos freqüentemente com hemangiopericitoma, linfocitoma e Schwanoma, etc.        


segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Hipotrofia gelatinosa das gorduras no coração de um bovino da raça holandesa

Observando as duas fotos nota-se que a do lado esquerdo o coração apresenta-se com esta alteração que representa um consumo das gorduras do saco pericárdico, nos casos de inanição e subnutrição, quando o organismo lança mão das reservas de gorduras acumuladas em determinadas partes do corpo, como é o exemplo deste saco pericárdico. Isto também pode ocorrer na gordura perirrenal e outros locais. Esta alteração é bastante comum nos animais domésticos quando falta alimento no período da seca. Macroscopicamente apresenta-se com coloração amarelada e consistência amolecida, deixando fluir líquido citrino ao corte. 

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Enfarte renal em um cão Dálmata adulto e sua causa

Enfartes: É uma área de necrose circunscrita consequente a obliteração súbita de um vaso sanguíneo que irriga uma região sem adequada circulação colateral. Macroscopicamente a maioria dos enfartes principalmente os renais tem a forma de cone com o ápice no ponto da embolia ou trombose com a base na superfície do órgão como demonstra a foto macroscópica do rim. Um corte do ápice à base mostrara então a forma de cunha ou leque. Em fase recente a área enfartada é tumefeita e vermelho escuro devido a distensão dos capilares por sangue. Tem consistência mole, e após certo tempo torna-se pálida, de consistência mais dura que os tecidos adjacentes com a margem vermelha, devido ser consequência de necrose e da inflamação marginal. Os enfartes vermelhos tendem a fazer saliência nos tecidos adjacentes, ao passo que o enfarte anêmico tende a ser ligeiramente deprimido. Os enfartes antigos aparecem claramente como depressão enrugadas na superfície.  Microscopicamente o quadro é aquele da necrose coagulativa como demonstrado na foto da microscopia.
Classificação dos enfartes: é de acordo com sua aparência:
Enfartes brancos ou isquêmicos ou anêmicos e vermelhos ou hemorrágicos. Estas designações referem-se à lesão plenamente constituída. Na fase inicial praticamente todos os enfartes são vermelhos devido à hiperemia e hemorragia. Os enfartes anêmicos são mais velhos e denominados senil.
Etiologia do enfarte: As embolias e as tromboses são as causas mais freqüentes. Qualquer fator que obstrui vasos. Neste caso especifico como mostra a foto microscópica a trombose foi a causa deste enfarte neste cão.