quinta-feira, 18 de maio de 2017

Fibroma em pênis de um touro

Ocorre mais frequentemente, nas partes mais baixas dos membros, lábios, pálpebras, base das orelhas e prepúcio. Tem distribuição mundial, e afeta várias espécies bovinas. Acredita-se que a causa seja a infecção pelo Papiloma vírus. Alguns fatores como traumatismo, predisposição genética e  exposição ao vírus são fatores predisponentes para o seu aparecimento. Não há predileção por cor do animal nem estação do ano. Pode aparecer em qualquer parte do corpo. Alguns animais apresentam cura espontaneamente, sendo isso indicativo de resistência. É necessário distinguir este tumor das lesões da pele causada por parasito como Habronema. Neste caso a lesão é rica em eosinófilos. Também deve-se diferenciar do carcinoma epidermoide. O tumor geralmente é recidivante após a extirpação cirúrgica, chegando a 50% segundo (GENETZKY et al., 1983), sem, entretanto, dar metástase. Macroscopicamente são solitários ou múltiplos, de tamanho variável, pedunculados, papiliformes e ou fungoides. São duros e de cor brancacenta.


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Adenoma hepático em cadela

Também chamados adenoma hepatocelular são geralmente simples, pequenos projetando-se como nódulos lisos, às vezes lobulados e às vezes pedunculados. São moles de cor marrom ou amarelado como mostra as fotos. A demarcação é mais ou menos nítida por capsula de tecido conjuntiva. 



quinta-feira, 11 de maio de 2017

Pneumonia aguda fase congestiva em um pastor

É a fase inicial da pneumonia aguda onde há uma maior quantidade de sangue nos vasos pulmonares. Neste postamento observa-se uma área mais volumosa de coloração vermelho escura de consistência firme e hipocreptante.

Peritonite difusa aguda em uma cadela pit Bull

É a inflamação geral do peritôneo, que neste postamento encontrou-se uma mesenterite. Foi possivelmente resultado após uma interferência cirúrgica nesta cadela. Observou-se uma deposição de fibrina sob a forma de filamentos avermelhados ou amarelados na serosa como demonstrado nesta foto onde a serosa apresentava-se opaca, turva com um aspecto ligeiramente aveludado.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Pneumonia supurada embólica pulmonar em bezerro

É um tipo especial de pneumonia onde o pulmão é alvo dos diferentes tipos de êmbolos, em especial os êmbolos bacterianos que se instalam no órgão formando verdadeiros abscessos como mostra as fotos, disseminados inclusive na pleura, sendo bastante comum nos bovinos, ovinos, caprinos e suínos. Esta inflamação supurada também denominada supurativa é um tipo de inflamação cujo exsudato inflamatório é o pus que apresenta-se como um produto líquido de cor e consistência cremosa podendo ser fino e quase aquoso ou espesso e semissólido. Esta cor amarelo cremoso pode passar a azulado ou esverdeado se a Pseudomonas aeruginosa esta entre as bactérias infectantes. O que caracteriza o pus é a presença de numerosos neutrófilos.      



segunda-feira, 3 de abril de 2017

Peritonite fibrinosa

Também chamada pseudo membranosa, diftérica ou cruposa, é um tipo de inflamação cujo exsudato predominante é a fibrina apesar de outros elementos do exsudato inflamatório possam estar presentes mesmo em menor grau. Este tipo de inflamação ocorre principalmente nas mucosas e serosas. Pode ser local ou generalizada, aguda ou cronica. Neste postamento observa-se uma peritonite fibrinosa aguda com todos os processos cardinais da inflamação presentes. Macroscopicamente no inicio do processo forma-se na superfície dos órgãos revestidos pelas serosas uma membrana de cor amarelo pálida, com perda de seu brilho e com aparência aveludada, e após o avançar do processo forma-se uma membrana brancacenta de material filamentoso que pode atingir até um centímetro de espessura, com superfície rugosa e estrias fibrinosas. A membrana de fibrina é às vezes densa e forma uma pseudomembrana (membrana falsa) amarela ou branca acentuadamente resistente. Esta inflamação fibrinosa geralmente é causada por um tipo mais violento de injuria, o qual provocou uma maior permeabilidade capilar. Os agentes etiológicos podem ser resultados de contaminações bacteriana depois de intervenções cirúrgicas, rutura traumática do estomago ou intestino, ou perfuração da parede abdominal. Pode também contaminar o peritôneo a rutura de um vólvulo, um segmento intestinal obstruído, um estomago retorcido, uma próstata que sofre abscesso, um útero infectado ou uma hernia encarcerada. É comum às vezes observar aderências entre os órgãos abdominais.  


sexta-feira, 31 de março de 2017

Hemangioma em cavalo

Os hemangiomas são neoplasias das células endoteliais dos vasos sanguíneos que podem localizar-se no tecido subcutâneo. Geralmente se apresentam como massa unica com frequência nos membros ou no baço. Macroscopicamente esta neoplasia é uma massa esponjosa encapsulada que tem uma superfície de corte vermelho escuro enegrecida medindo de 3 a 5 cm de diâmetro. como demonstrado nas fotos ao lado. Estes tumores são de crescimento lento. Não dão metástase e a incisão cirúrgica é curativa. Podem acometer também gatos, bovinos, ovinos e suínos. Os animais jovens são mais acometidos.   

segunda-feira, 20 de março de 2017

Hidronefrose em um cão

É o aumento cístico do rim devido à obstrução do fluxo urinário. A urina acumula-se na pelve renal, comprimindo o parênquima do órgão levando à uma hipotrofia da medular renal. Como mostra a foto ao lado, observa-se variados graus da lesão, desde uma simples dilatação da pelve e cálices renais até a formação de varias bolsas, formadas pela capsula renal, cujo parênquima do órgão está comprimido e hipotrofiado, sujeito ao desaparecimento total. A hidronefrose é comum nos diferentes animais domésticos e particularmente frequente no suíno e no cão. Quando a oclusão urinária está localizada nas porcões inferiores do trato urinário, o ureter pode mostra-se distendido por liquido urinário  e denomina-se hidro ureter. Entre os fatores responsabilizados por esta alteração devem ser mencionados os cálculos dos ureteres, da bexiga e da uretra, assim como parasitos do trato urinário como Dioctophyme renal e, em condições excepcionais, o Stephanurus dentatus, os tumores do bacinete, as estenoses, os traumatismos e as inflamações dos ureteres. A insuficiência renal e a uremia constituem as consequências mais importantes da hidronefrose. Esta alteração pode ser uni ou bilateral. 

terça-feira, 14 de março de 2017

Cistite fibrinosa em um cão

Em circunstancias normais a bexiga é resistente à infecção, e as bactérias se eliminam rapidamente pelo fluxo natural da urina normal. Sem duvida, a predisposição da infecção aparece quando se produz retenção urinaria, ou o revestimento da bexiga se traumatiza. Em muitos casos atuam ambos mecanismos predisponentes. Daí pode-se deduzir que as causas mais importantes na predisposição serão aquelas que motivam obstrução do fluxo urinário ou paralisia primaria da bexiga. As causas diretas usuais são as bactérias que penetram através da uretra, ainda que pode produzir a infecção descendente como sucede nos abscessos renais. Diversas bactérias podem estar implicadas como a Escherichia coli, proteus vulgaris, estreptococos e estafilococos. O Corinebacterium renal é importante nas vacas e porcas. Neste postamento observa-se na foto que a mucosa mostra-se recoberta de crostas espessas, de coloração amarelada, as quais são ora superficiais e facilmente destacáveis, ora profundas e firmemente aderentes à mucosa mostrando portanto que sugere uma cistite fibrinosa. As cistite s podem ser agudas ou cronicas, porém há uma considerável superposição tanto nas lesões como nas suas causas.    

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Nefrite cronica em uma cadela velha

A persistência do agente lesivo por semanas ou anos, é um estimulo constante para a reação inflamatória. Geralmente é provocada por irritantes de baixa intensidade e quando a resistência do organismo é alta. Aqui os sinais cardeais da inflamação são presentes mas não tão evidentes como nos processos agudos. Na nefrite cronica a proliferação de fibroblastos dá origem a uma diminuição do tamanho do rim como mostra as fotos ao lado, e com isto observa-se aderência da sua capsula ao órgão devido à fibroplasia, sendo observado um rim com aspecto granuloso, pela ocorrência de múltiplos e pequenos focos de retração (pequeno rim granuloso) fenômeno conhecido  no cão. Esta proliferação do tecido conjuntivo denota um processo reparador iniciado, porém não terminado. Esta nefrite só é cronica se há presença de tecido conjuntivo maduro como consequência dela como mostra a aderência da capsula ao órgão. 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Lipocromos ou carotenose em uma novilha Jersey

O grupo de pigmentos conhecidos como lipocromos tem este nome devido a sua solubilidade nas gorduras. São também chamados pigmentos carotenoides devido suas relações químicas com os carotenos vegetais. Todos tem cor amarelo-esverdeada. Ocorrem normalmente nas células adiposas de bovinos da raça Jersey e Guernsey, que são acentuadamente amarelas como a raça deste postamento. Patologicamente o mesmo tipo de pigmento ocorre em pequenos tumores conhecidos como xantomas. Segundo alguns autores estes tumores não são verdadeiros neoplasmas, mas parecem ser antes um distúrbio metabólico do sistema monocítico fagocitário. Os lipocromos são visíveis macroscopicamente porque são solúveis e de cor difusa não acentuada. Este pigmento pode dar uma coloração acentuada amarela no fígado, fato este que não foi observado neste animal. Em tais casos, presumi-se que o caroteno não é metabolizado devido a alguma lesão tóxica nas células hepáticas. O fígado com icterícia por obstrução tem um aspecto semelhante. A diferenciação entre carotenose hepática e a icterícia pode se fazer tomando fragmentos do fígado e colocando-os em mistura de água e éter. Após agitar bem nota-se que o éter, como é mais leve, fica na porção superior com cor amarela se for caroteno, e pelo contrario, se houver icterícia, a água é que ficará corada pela bilirrubina.