quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Fibroma no pênis de um cavalo.

Sob a denominação de Sarcoide equino Cecil Jackson e Olson em 1936 descreveram um  neoplasma frequentemente encontrado nos cavalos com aspecto histológico de fibroma ou fibrossarcoma. O tumor é comum na pele dos cavalos, mulas e jumentos. Parecem que podem ser transferidos a diferentes partes da pele por mordeduras, escoriações e por autotransplantação do tumor. Ocorre mais frequentemente, nas partes mais baixas dos membros, lábios, pálpebras, base das orelhas e prepúcio. Moulton não encontra justificativas para o termo sarcoide e o
chama de fibromas dos cavalos. Tem distribuição mundial, e afeta várias espécies equídeas. Acredita-se que a causa seja a infecção pelo Papilomavírus. Alguns fatores como traumatismo, predisposição genética e  exposição ao vírus são fatores predisponentes para o seu aparecimento. Não há predileção por cor do animal nem estação do ano. Pode aparecer em qualquer parte do corpo. Alguns animais apresentam cura espontaneamente, sendo isso indicativo de resistência. É necessário distinguir este tumor das lesões da pele causada por parasito como Habronema. Neste caso a lesão é rica em eosinófilos. Também deve-se diferenciar do carcinoma epidermoide.O tumor geralmente é recidivante após a extirpação cirúrgica, chegando a 50% segundo (GENETZKY et al., 1983), sem entretanto dar metástase. Macroscopicamente são solitários ou                                       
 múltiplos, de tamanho variável, pedunculados, papiliformes e ou fungoides. São duros e de cor brancacenta. A epiderme que reveste o tumor geralmente é ulcerada e infectada além de acantocitica como demonstrado nas fotografias.
gentilmente cedidas pelo acadêmico Clayton Garcia Moraes Teixeira do 6º período do segundo semestre da Unipac de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. o qual agradeço as fotografias que possibilitaram este postamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário