sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Corpos estranhos em um bezerro

Provavelmente porque o bovino tenha o sentido de paladar pouco desenvolvido e pouco seletivos também por mastigar resumidamente os alimentos, corpos estranhos podem chegar aos proventrículos. É comum a presença de corpos estranhos no retículo, especialmente pela sua localização ao fundo do rume. Os corpos estranhos pontiagudos e perfurantes normalmente causam graves acidentes, atingindo diafragma, pericárdio e coração. Neste postamento mostra-se uma obstrução onde o corpo estranho é um plastico. Este fenomeno é mais raro nos pequenos ruminantes, porque mastigam o alimento mais lentamente, sendo mais comum em animais velhos, mas este postamento foi em um animal jovem. Estes acidentes são mais comuns próximo às cidades do que nos que vivem em pleno campo. Os corpos estranhos ingeridos são os mais variados, como fio de arames, pregos, lâminas de faca, cabos de guarda chuva, tampas de latas, pedaços de madeira e ossos, e como mostrado no vídeo plastico e outros. 

video


4 comentários:

  1. Boa tarde! Gostaria em primeiro lugar, de apresentar os Parabéns pelo blog Patologia Veterinária que tenho vindo a seguir. Em segundo gostaria de saber se poderia recorrer aos seus conhecimentos num caso pessoal, de patologia caprina. Sinceros cumprimentos

    ResponderExcluir
  2. Agradeço sua participação. Claro que estou à sua disposição para qualquer eventuais duvidas sobre patologia de qualquer animal doméstico, incusive a espécie caprina. Fique com Deus. Fui...

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada pela sua disponibilidade. O caso ocorreu em Portugal, agora nas primeiras chuvas de Outono numa pequena exploração em regime extensivo com recurso a pastoreio (sendo esta a fonte principal de alimentação), e com 7 reprodutoras e 1 reprodutor. O cabrito nasceu na primeira semana de Setembro, teria cerca de 2 meses de um parto normal (e administrado o colostro logo a seguir) e ainda era alimentada a leite materno mas também comia pasto. Nos finais de Outubro começou a apresentar sinais de "fadiga" e a deitar-se muito, após isso apresentou perca de mobilidade nos membros inferiores. Apesar disto mantinha o apetite (alimentava-se bem), era vivaça, boa estrutura física e não apresentava indícios de diarreia. Devido à perca total mobilidadede dos membros inferiores procedeu-se à decisão de abate nesta última sexta-feira, dia 6 de Novembro 2015, e ao analisar os orgãos deparámos com esta situação de um fígado com manchas brancas, os restantes orgãos não apresentavam outras evidências patológicas (bexiga continha urina, os intestinos tinham fezes normais, os rins com bom aspecto). Até ao momento, foi a única que apresentou estes sintomas. Tenho uma imagem do fígado que gostaria de lhe enviar para auxiliar no diagnóstico da patologia que afectou este pequeno ruminante. Se for do seu interesse também partilhar esta situação para uso científico/informativo, inclusive a imagem, disponha sempre. Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  4. gostaria de saber c esse paladar pouco desenvolvido e pouco seletivos desse animal,não seria falta vitaminas ou pastagem fracas,fazendo com q o animal busque essa suplementação em corpos estranho,mais como o animal era jovem,provavelmente curiosidade por parte dele,e descuido do dono q deve ser um porco....

    ResponderExcluir