sábado, 18 de junho de 2011

Enfarte renal

Os enfartes renais são frequentes nos animais, constituindo mesmo o rim o órgão em que são mais comuns tais necroses isquêmicas nas espécies domésticas. Em sua primeira fase também denominada jovem, que dura de 2 a 3 dias, aparece uma área vermelho-escura, edemaciada e em forma de cunha com base voltada para a superfície do órgão, como demonstrado na fotografia ao lado. Em uma segunda fase o enfarte renal torna-se pálido e deprimido; apresenta-se então como uma área mole, friável, opaca de cor amarelo-pálido e cercada por halo hiperêmico de coloração vermelho-escura. Um ou vários enfartes podem ocorrer no rim. Quando múltiplos suas cicatrizes podem dar ao órgão um aspecto de rim contraído (rim rugoso) o que constitui também uma sequela da nefrite intersticial. O enfarte renal é determinado pela oclusão da artéria renal ou seus ramos, por êmbolos ou trombos. Os enfartes renais são frequentes no bovino, no suíno e no homem; são raros no cão e no gato, e isto se explica pela extensa circulação colateral observada no rim destes animais, pela pouca frequência de tromboses e embolias e pela raridade das endocardites bacterianas e das arterioesclerose em tais espécies domésticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário