quarta-feira, 15 de junho de 2011

Melanose pulmonar

Melanose é uma alteração pigmentar patológica de origem endógena podendo ser encontrada nos tumores melânicos, na acantose nigricans dos cães e nas próprias melanoses. Nas melanoses, principalmente dos bovinos e carneiros, há também produção excessiva e localização anormal da melanina. É encontrada em animais jovens sob a forma de melanose congênita ou pode ocorrer em animais adultos. Este tipo de lesão pode ser observada em vários órgãos, especialmente nos pulmões, epicárdio, endocárdio, aorta, fígado, rins e sistema nervoso. A melanose é achado frequentemente em animais de matadouro, sem nenhum sintoma clínico. Esta alteração pigmentar também não tem nenhuma relação com a cor do animal. O pigmento aparece sob a forma de manchas pretas, arredondadas, de vários tamanhos, desde o milimétrico a centímetros de diâmetro, de forma irregular, não só na superfície do órgão como também no interior do parênquima. Não há modificação na textura, consistência e forma do tecido, assim como não há tendência à transformação neoplásica. Macroscópicamente a melanose apresenta-se no pulmão como uma ordenação lobular do pigmento que empresta ao pulmão um aspecto de "tabuleiro de xadrez", como demonstra a fotografia acima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário